Chapéu de sol – BIOLOGIA


Retirado de Astramundo

Postado <!– –>por Bellatrix<!– –> em 20/04/2006 09:35

Momento biologia…
Amendoeira-da -praia

Nome popular: amendoeira; guarda-sol; chapéu-de-sol; castanhola.
Nome científico: Terminalia catappa L.
Família botânica: Combretaceae
Origem: Índia e Malásia.

Amendoeira-da-praia, amendoeira-da-Índia, amendoeira-tropical. Vários nomes para uma mesma árvore, bastante conhecida pela vasta sombra que proporciona ao longo das praias ensolaradas de toda a costa brasileira: o chapéu-de-sol.

Segundo Henry Blossfold, contam as velhas crônicas que esta árvore, originária da Índia, já era bastante comum nas praias do Brasil logo após o primeiro século da chegada dos europeus. Supõe-se que suas sementes tenham chegado misturadas às areias tomadas na Ásia e utilizadas como lastro dos navios portugueses.

Por ser uma árvore típica de praias marítimas, suas sementes suportam longos períodos de imersão nas águas do maré onde permanecem boiando nas ondas por dias e dias até serem jogadas, pela maré quilôntetrosalta, à beira da praia. Sendo de fácil germinação, espalhou-se sem cerimônia pelos quilôntetros sem fim da costa brasileira e de seu interior também.

A característica mais notável e inconfundível do chapéu-de-sol é a forma assumida por sua copa, que se assenta no topo do tronco principal de onde seus ramos se esparramam, quase horizontalmente, como os raios de uma roda. As folhas, de grande tamanho, juntam-se formando uma cobertura natural e sombreado de boa extensão. No inverno, uma impressão de clima temperado: as folhas ficam amareladas, depois avermelhadas e caem em grande quantidade, revestindo o solo de um resistente tapete orgânico.

O fruto do chapéu-de-sol possui polpa comestível que, embora raramente aproveitada, contém uma amêndoa, a amêndoa-da-praia, de sabor meio doce e meio azedo. Até hoje, no entanto, a maior parte dos frutos oferecidos por essa árvore produtora de sombras serviu apenas para forrar o solo de bolotas apodrecidas. Os únicos a aproveitar os frutos dessa árvore têm sido as crianças, moleques de todas as ruas e praias que, em busca de alimento ou passatempo, aprenderam a retirar da amêndoa o gostoso conteúdo.
Atualmente, na Universidade Federal da Bahia, a partir justamente da observação de que a amêndoa do chapéu-de-sol é utilizada pelos meninos de rua de Salvador, desenvolvem-se estudos sobre os valores nutricionais desse fruto e sobre as possibilidades de utilização alimentícia da polpa in natura e da farinha da amêndoa.

Informações retiradas de http://www.bibvirt.futuro.usp.br

* Foto: frutos de Terminalia catappa. Os morcegos se alimentam deste fruto e as folhas secas desta árvore são utilizadas para purificação da água em cativeiros de peixes, principalmente os Bettas.

*** Para quem tem aquário: (artigo no blog: As folhas mágicas)
http://xylema.blogspot.com/2005_05_01_xylema_archive.html

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s