Marambá (José Mariano da Fonseca Barbosa)


Retirado de Dicionário Cravo Albin da Música Popular

Marambá (José Mariano da Fonseca Barbosa)

22/05/1896 Surubim, PE até 02/09/1968 Recife, PE

Biografia

Compositor. Instrumentista. Irmão do compositor Capiba, nasceu numa família de músicos, que formavam um conjunto chamado Os Capibas. Fez estudos musicais com o pai. Teve sete irmãos, e, com um deles, Sebastião, tocou na banda do Ginásio Pernambucano. Por conta dessa atuação musical, os dois estudavam gratuitamente. Atuou nas diversas bandas de música, dirigidas por seu pai, nas cidades de Carpina, Limoeiro e Nazaré da Mata, no interior pernambucano. Atuou também em bandas nas cidades de Taperoá e Campina Grande, na Paraíba.

Dados Artísticos

Em 1913, teve uma composição, o xote “Teu sorriso”, publicada na revista O Malho, no Rio de Janeiro. Nessa época, morava em Taperoá, na Paraíba, onde fez suas primeiras músicas. No mesmo período, como forma de diferenciar-se de seu irmão Lourenço, que era conhecido pelo apelido da família, Capiba, adotou o nome artístico de Marambá. Na Paraíba, atuou como mestre de banda em diversas cidades. Trabalhou no comércio de algodão, ao mesmo tempo em que lutava para dar prosseguimento à carreira artística. Em 1917, compôs o pas de quatre “Sonhos de namorado”. Pouco depois, devido a questões de trabalho, mudou-se para Recife, onde, por volta de 1920, integrou a Orquestra de Pau e Corda do Bloco Carnavalesco Apois Fum, tocando clarineta. Nos anos 1930, atuou como clarinetista na antiga P.R.A P., depois PRA8, e atual Rádio Clube de Pernambuco, onde se apresentava acompanhado ao piano pelo irmão Capiba. Em 1934, obteve sucesso com a marcha “Não caio nessa”, gravada por Carlos Galhardo. Em 1937, venceu o concurso promovido pela Federação Carnavalesca de Pernambuco, com o “Hino do carnaval pernambucano”, em parceria com Aníbal Portela e gravado no mesmo ano pela Orquestra Colúmbia e Coro. Ainda em 1937, venceu um concurso de frevo com “Ui! Que medo eu tive”, em parceria com Aníbal Portela e gravado por Francisco Alves. Em 1942, o mesmo Carlos Galhardo gravou o frevo “Quero quebrar”. Em 1943, Zaccarias e Sua Orquestra gravaram o frevo “Vira as máquinas” e Carlos Galhardo, o frevo-canção “Cai, cai”. No ano seguinte, o próprio Galhardo gravou o frevo-canção “Vamos virar”. Zaccarias e Sua Orquestra gravaram o frevo “Lá vai poeira”, em 1944, e “Espalha brasa” em 1945, ano em que Linda Batista gravou o frevo-canção “Criado com vó”. A partir deste momento, ocorreram sucessivas gravações: em 1946, Linda Batista gravou o frevo-canção “Tire a mão do meu baú” e Zaccarias e sua Orquestra o frevo “Meu chamego é você”; em 1947, foram gravadas de sua autoria o frevo-canção “Vem meu amor”, por Carlos Galhardo, e o frevo “Linguarudo”, por Zaccarias e Sua Orquestra. Em 1950, novamente Carlos Galhardo e Zaccarias e Sua Orquestra tornaram a gravar composições de sua autoria, o primeiro com o frevo-canção “Eu durmo devagar” e o segundo, com o frevo “Aperta o passo”. Em 1951, Carlos Galhardo gravou o frevo-canção “Pediram pra chover”. Em 1955, Almir Távora gravou o frevo-canção “Jacaré comprou cadeira” e José Orlando, o também frevo-canção “Viva a banana”. Em 1957, Rubens Cristino gravou “Cobra-coral”, em parceria com Geraldo Costa, e “Balaio de Maria”, as duas composições do gênero frevo-canção.

Obra

Aperta o passo • Balaio de Maria • Cai, cai • Cobra-coral • Criado com vó • Espalha brasa • Eu durmo devagar • Fazendo miséria • Hino do carnaval pernambucano (c/ Aníbal Portela) • Jacaré comprou cadeira • Lá vai poeira • Linguarudo • Meu chamego é você • Não caio nessa • Pediram pra chover • Quero quebrar • Sonhos de namorado • Teu sorriso • Tire a mão do meu baú • Ui! Que medo eu tive! (c/ Aníbal Portela) • Vamos virar • Vem meu amor • Vira as máquinas • Viva a banana

Anúncios

10 comentários em “Marambá (José Mariano da Fonseca Barbosa)

  1. Minha esposa é neta de Marambá. Se o site desejar, posso conseguir umas fotos do músico. Abraço.

    1. Estou pesquisando a respeito de um tio de Marambá, Honório Capiba, que fundou uma banda de música no Rio Grande do Norte, em 1926. Tenho em meu poder uma carta de Marambá para um seu primo maestro e gostaria de ter autorização para publicá-la, como fonte de minha pesquisa. Seria uma gentileza se entrasse em contato pelo e-mail jqmf@uol.com.br. Grato.

      1. Na verdade, meu caro, gostaria de entrar em contato com o José de Ribamar Broxado Filho, casado com a neta de Marambá, para solicitar que ela autorize a divulgação da carta do avô. Se for possível, envie o e-mail dele para o meu e-mail. Agradeço muito.

  2. Meu nome é Vanda, sou neta de Marambá. Minha mãe, Marina, filha de Marambá, mora em Olinda e tem, além de fotos e reportagens sobre vovô, todas as partituras de suas musicas.

    1. Prezada Vanda, que notícia minha você nos dá. Eu apreciaria muito, publicaria aqui com gosto e faria ampla divulgação se permitir!

      Tem como entrar em contato?

      hecorjui@hotmail.com

      Ou

      Hércules Xavier Ferreira (Heco) no Facebook.

      Agradeço demais!!! Demais!!! Grande abraço romançal!

    2. Olá, Vanda. Como falei acima, sou pesquisador da UFRN e estou fazendo uma pesquisa sobre a influência musical da família Capiba na musicalidade da região potiguar do Seridó. Foi um tio materno de Marambá, Honório Maciel da Fonseca, casado com uma tia paterna dele, Júlia Moura, que fundou a filarmônica de São João do Sabugi. Por gentileza, entre em contato através do e-mail jqmf@uol.com.br. Agradeço muito.

      1. Sim, recebi, e também recebi e-mail da Sra.Vanda, que respondi, mas ainda não obtive resposta. Muito obrigado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s