Glossário de Música Nordestina


Retirado de Música Nordestina

Neste glossário, você encontra especificidades de alguns termos encontrados nos nossos textos, para facilitar o entendimento em relação a palavras e expressões idomáticas, muitas vezes restritas ao âmbito de determinada região.

Aboio – Tipo de repente nordestino em que o cantador não recorre a nenhum instrumento, usando apenas a voz.

Agogô ou agogó – Instrumento de percussão introduzido no Brasil pelos negros iorubás africanos. Presente em várias manifestações musicais afro-brasileira, como a capoeira, o maculelê e o candomblé.

Baião – Pequeno trecho de instrumental que os repentistas entre um desafio e outro. Tirado do contexto da cantoria e trasposto para o acompanhamento da sanfona, zabumba.

Batuque – Ritmo de origem afro-ameríndio tocado com instrumentos de percussão onde se cantam versos que são respondidos por coro. Exemplo típico da utilização do ritmo na música nordestina é O Canto da Ema do paraibano Jackson do Pandeiro.

Cangaço – Gênero de vida dos cangaceiros típicos da história do sertão do Nordeste brasileiro.

Chula – Ritmo e dança de origem portuguesa que se enraizou no sertão e Recôncavo baiano tocada com vilão, viola e instrumentos percussivos.

Côco – Dança e ritmo popular do Nordeste e Norte do Brasil, notadamente na zona litorânea, embora tenha surgido no interior nas zonas açucareiras. Ritmo sincopado com versos respondidos em coro.

Embolada – Tipo de repente nordestino em que o cantador toca pandeiro ou ganzá.

Frevo – Dança pernambucana carnavalesca de rua e de salão, essencialmente rítmica, em compasso binário e com andamento acelerado na qual os dançarinos (passistas) executam coreografia individual, improvisada e frenética.

Galope a beira-mar – Tipo de repente que segue basicamente as mesmas regras do martelo, mas com uma diferença: o último verso precisa terminar com as palavras “beira” e “mar”.

Gibão – Traje típico dos cangaceiros nordestinos caracterizada pela presença do couro de boi, cobrindo os homens desde o pescoço até à cintura.

Gonguê – (ver agogô)

Martelo – Tipo de repente que têm as estrofes de dez versos. O primeiro rima com o quarto e com o quinto. O segundo rima com o sétimo e com o décimo. O oitavo com o nono.

Martelo alagoano – Tipo de repente que obedece às regras do martelo, só que o último verso deve acabar com a expressão “martelo alagoano”.

Rabeca – Instrumento folclórico cordofone que soa por fricção, espécie de violino popular. De timbre mais baixo que o do violino tem um som fanhoso e sentido como tristonho.

Repente – Música que se faz de improviso por um cantador com o acompanhamento de viola ou não. É uma música oriunda da Península Ibérica, aonde chegou por influência dos mouros. No Brasil, o repente desembarcou, há mais de 200 anos, trazido pelos portugueses. No site, Zé Limeira e Bule-Bule são dois exemplos de repentistas típicos.

Samba-de-roda – Ritmo dançante típico do Recôncavo de origem africana.

Septilha – Tipo de verso de repente cujas estrofes têm sete versos. O primeiro e o terceiro são livres. O segundo rima com o quarto e com o sétimo. O quinto rima com o sexto.

Sextilha – Tipo de verso de repente no qual o cantador, quando está com a palavra, deve fazer estrofes de seis versos (ou linhas). O segundo verso rima com o quarto e o sexto. O primeiro, o terceiro e o quinto são livres.

Anúncios

Um comentário em “Glossário de Música Nordestina

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s