Ser Tão Criança – Cantigas de Roda e do Sertão – Xico Bizerra


EU ENCONTREI esta coisa bonita que só no Cantos & Encantos

(lá é possível baixar o cd)

Todas as musica são de autoria de Xico Bizerra e Roberto Cruz interpretadas por Cristiane Quintas.
Cantigas de roda e do Sertão Cantadas por Cristiane Quintas Participações especiais de Geraldo Maia, Nena Queiroga e Lívia Cavalcanti

* 01. Bicho – samba de latada – part. esp.Geraldo Maia
* 02. Lua – xote
* 03. Água – baião – part.esp.Nena Queiroga
* 04. Casa – coco
* 05. Chuva – arrasta pé
* 06. Terra – xaxado
* 07. Flor – xote – part.esp.Lívia Cavalcanti
* 08. Vento – baião
* 09. Sol – samba de latada
* 10. Semente – xote – part.esp.Nena Queiroga
* 11. Estrela – baião
* 12. Passarinho – xote

Contatos

xicobierra@br.intern.net
http://www.forroboxote.mus.br
Tel.: 81 91339935

Nilson Araujo

-x-x-x-x-x-x-x-

Músicos participantes:
Andrezza Carla – pandeiro
Aparecido – Sinhô nas cantigas de roda
Apolo Natureza – violão aço e nylon
Beto Hortis – sanfona
Daniel Coimbra – cavaquinho Quartinha – zabumba, triângulo e agogô
Toninho Tavares – contrabaixo

Vocal infantil – Coro Infantil Imperial, da Comunidade do Coque – Recife PE Alunos do CEMO – Centro de Educação Musical de Olinda sob a regência da Prof.Anaide da Paz e coordenação geral do Prof.Bruno Cesar

Crianças – Anderson Camilo, Claudinho Alves, Jonathan Camilo, Kennedy Ferreira, Lívia Cavalcanti

Ficha Técnica:
Idéia, Realização e produção executiva – Xico Bizerra
Produção cultura junto ao Funcultura – Marcos Veloso
Gravado, mixado e masterizado no ZRG Estúdio – Recife – PE, entre agosto e setembro 2007
Mixagem – Xico Bizerra, Zé Roberto e Roberto Cruz
Arranjos – Beto Hortis
Arte capa e encarte – Amanda Mansur
Assistente de Arte – Tetê Mansur
Fotos – Meire Godoy e Arluce Carvalho

Agradecimento especial Funcultura que possibilitou o fazimento do trabalho Apoio Governo de Pernambuco

——————————————————————————————————————————————————–

Recebi este CD de presente de Nilson Araujo de Pernambuco.

“Gostaria de saber se os cantos e encantos aceita colaboração.

“É que em Pernambuco as escolas disponibilizaram um belo trabalho em toda a rede de ensino do poeta Xico Bizerra com o cd Ser tão criança, com xotes, baiões, enfim musica de raiz mesmo e seria interessante a disponibilização para conhecimento geral.” (Nilson Araujo)

Ouvi diversas vezes, estou encantada com tudo que ouvi e vi.

Parabéns ao Xico Bezerra por nos presentear com seu rico trabalho e a todos que participaram deste grande trabalho. Parabéns pelo encarte e a riqueza de detalhes.
Xico Bizerra é um poeta como já disse Nilson e a cantora Cristiane Quintas completa sua obra com sua bela voz. Quando ganho um disco de folclore eu fico igual criança quando ganha um brinquedo novo. Só ouvindo para saber e entender o que estou falando. Só tenho a agradecer e gostaria compartilhar com todos vocês este presente. Meu trabalho é pesquisar e mostrar a vocês o que existe de musica infantil brasileira.

Ouçam e compartilhe este CD, ele trata da pura musica infantil, do nosso rico folclore, dos nossos variados ritmos, da nossa verdadeira música de raiz, e de quem entende realmente a linguagem das crianças.

Xico deixa claro que é doutor neste assunto. Façam com que seus alunos, filhos, sobrinhos, levem para sua vida adulta a doce lembrança deste rico Brasil na sua musicalidade. Vamos resgatar nossa cultura, nosso folclore. Divulguem nossa cultura popular. Façam a sua parte! Não deixem a musica infantil perder seu encanto.

Parabéns Dr.Xico, queremos ouvir mais !!!!!! Quando tiver trabalho novo terei o maior prazer em divulgar.

Muito obrigada

Claudia
Cantos Encantos

INFÂNCIA LEVADA A SÉRIO

Não tem sido fácil para o povo brasileiro, fruto da confluência de matrizes étnicas tão dispares, constituir o próprio rosto, assumir uma identidade coletiva, se ver como uma grande única, consciente e orgulhosa de si.

Como juntar os múltiplos pedaços de que somos feitos? Como lutar contra as forças políticas e econômicas que nos massificam e que necessitam de homens mutilados, sem imaginação, sem criatividade e sem vida? Como fazer frente à Indústria Cultural, que se apossa dos meios de comunicação para nos fazer engolir o produto mal acabado que nos descaracteriza? Qualquer um de nós, com um pingo de bom senso e de conhecimento, sabem como é urgente encontrar as respostas que nos devolverão a nós mesmos.

É nessa luta dramática e comovente que se engaja o meu amigo Xico Bizerra. Faz tempo que ele mostra a cara do seu povo na música que faz. Agora, se lança a um desafio maior: produzir artisticamente para crianças. E só quem leva a infância a serio sabe das armadilhas que esperam quem se entrega a essa aventura. Muitos, seduzidos pela tarefa de “ensinar”, adotam um tom moralizador e professoral. As crianças bocejam enfastiadas. Outros forçam uma linguagem adocicada, diminutiva e de falsa simplicidade. As crianças torcem o nariz.

Os que trazem a chave certa sabem que o segredo é entrar no pensamento mágico com sua lógica toda própria, falando uma linguagem lúdica, desarticuladora das estruturas imobilizantes que se cristalizam no tempo. E através do sensível, do emotivo, da intuição que a criança chega ao autoconhecimento e ao mundo da cultura em sua sociedade. É por ai que um povo se faz: na consciência de mundo que se assimila na infância. E esse mundo que Xico Bizerra nos entrega é cheio de promessa de um futuro mais bonito.

Esse Xico Bizerra, homem/menino/semente que se plenifica completamente como homem porque sabe brincar: reuniu o grupo perfeito para acompalha-lo: as vozes brincantes de Cristiane Quintas, Nena Queiroga e Geraldo Maia, um coro de vozes infantis e instrumentistas que conhecem profundamente o chão da musica nordestina. E o que nos entrega é essa riqueza de imagens poéticas, jogos verbais e rítmicos, aliterações, assonâncias, rimas, trocadilhos, personificações… tudo movido ao som de xote, baiões, xaxado, sambas de latada….tudo muito nosso para que os pequenos aprendizes de cultura e os continuadores da vida tenham orgulho do que são e se façam, por sua vez, sementes de um pais melhor. (Haidée Camelo – professora de historia da cultura brasileira e de literatura infantil da Universidade Católica de Pernambuco – setembro 2007)

XICANTICOS DE ALEGRIA

Lúdico, puro, terno, perene. Ledo encanto. Arte de fazer a emoção saltitar. Chapeuzinho Vermelho e os Sete Anões brincando de roda ao som das canções do Tio Xico, o mimetismo do camaleão que bebe a chuva. Os Irmãos Grimm e Monteiro Lobato osculando a aridez das sertanias. Xicobizerrando a passarada, ouve-se o gorjear dos guris como se fossem árias da imaginação, asas dos autos compadecidos da nossa adultidade.

Xicânticos. Lá vem a boneca Emilia chiqueirar o lobo-lobo. Lá vão nossas asas no túnel do tempo. Sejamos meninos, meninas, rosas, pássaros, córregos, reis e rainhas. Algodãodocicando cada nota. Eita-pau! Açúcar fura os dentes. Escovemo-nos da maleita. Façamos a colheita. Colhamos sonhos e bebamos os pingos de mel que caem desteCD. Cuidado. O que era doce nunca acabou-se. Eis aqui.

Lá vem o pirata de perna de pau, querendo casar coma Branca de Neve. O Sapo não lava o pé porque não quer. Xincantigas. Loas, canção de ninar, miar, pio e pião. Quem chegar por último é o filho da roseira. O Peixe vivo quer água morna no inverno. Ciranda, cirandinha. Atira o queijo no rato, e o pau no chato e na galocha.

Aqui este disco tudo pode, tudo se deve, tudo de bom. Reaprender a cantar, brincar, ser gente. Esquecer as queixas, os cachos os chiques. Elucide-se a trama do Tio Xico, que quer nos levar á Terra do Nunca. Pois então, vamos. Peter Pan não envelhece. Vamos ninar o coração dos que são estrelas nos céus de chumbo. Soldadinhos, barco de papel, carro de lata. Tudo vale quando a alma é alva. Xico Bizerra nos concede tudo. E tudo não precisa de muito. Basta-nos alegria, inocência e amor.

Menino Maluquinho, Monica, Cascão, Ziraldo, Mauricio de Souza e Xico Bizerra…

Lá vamos todos na barca de Noé. Apertem os cintos: Plunct, Plact, Zum ! Vamos a lugar algum. Vamos neste CDiscovoador que nos levará a Alegrilãndia.
Bem-vindos á Terra do Sempre! (Ricardo Anísio é poeta, jornalista e escritor, autor dos livros MPB a A a Z e Canção do Fogo, entrou outros- set.2007)

CANTIGAS DE RODA E DO SERTÃO PARA DESAVERMELHAR PEQUENOS CHAPEUS E EXORCIZAR A MALDADE DOS LOBOS

Este trabalho tem a pretensão de utilizar a literatura infantil como ferramenta de educação e cultura, tratando a criança com inteligência e respeito. Um dos intuitos é nela despertar o sonho de poder sonhar, de provocar uma viagem pelo universo lúdico da imaginação, mediante utilização dos poemas musicados e das próprias musicas. Todas as músicas tratam de temas ligados a natureza e ao dia-a-dia das crianças nordestinas, brasileiras.

As cantigas de rodas tradicionais – todas as músicas têm como tema de abertura uma delas, são brincadeiras infantis, onde as crianças se dão as mãos, em roda, para cantá-las. As melodias dessas canções são tão marcantes que, ao ouvi-las, regressamos ao tempo bom da infância. Têm elas, também, o poder de envolver de maneira coletiva varia brincadeiras e danças. Contribuem, dessa forma, para a socialização e desinibição da criança, ao estimular o olhar frente a frente, o toque corporal, a exposição consentida. Desenvolvem, por outro lado, o senso de organização coletiva através da roda e do senso rítmico oferecido pela musica e pelo movimento corporal que ela cria.

Se, de alguma forma, estivermos contribuindo para a valorização de nossa cultura regional e o engrandecimento pessoal de alunos, pais e mestres que se utilizarem do nosso trabalho como instrumento abrasileirado de educação, de aprimoramento cultural e de socialização, daremos a tarefa como bem cumprida. (Xico Bizerra, entre um pingo de chuva e um brilho de estrela, vendo a lua clarear o mar de Candeias, numa noite de Setembro de 2007)

RITMOS DO SERTÃO NORDESTINO

Arrasta-pé – também conhecido como marchinha, é um ritmo alegre, rápido, e muito tocado em períodos juninos, principalmente para animar quadrilhas, dai alguns conhecerem-no como marchinha junina. De certa forma ficou estigmatizado pro esse conceito e sua temática poética, na maioria das vezes, é voltada para a fogueira, balão, comidas típicas do período de São João, festa muito concorrida no Nordeste Brasileiro.

Baião - Dança e canto típico do Nordeste, inicialmente era o nome de um tipo de festa, onde havia muita dança e melodias tocadas em violas. Este gênero musical que era restrito ao sertão passou a ser conhecido em todo Brasil, por meio de Luiz Gonzaga, quando gravou, em 1946, sua musica Baião, em parceria com Humberto Teixeira. Como fez muito sucesso, ainda hoje influencia muitos compositores da Musica Brasileira

Côco - o côco é uma dança de origem ameríndia (tupi) e muito difundida na região praiana do Nordeste. A exemplo de outras danças tipicamente brasileiras, o coco apresenta grande variedade de formas: em Alagoas é dançado de maneira bastante diferente da forma como se dança em Pernambuco e na Paraíba. Sua natureza, porem, não e alterada. E uma festa viva e alegre, com participação dos dançarinos, cantores e assistentes.

Samba de latada – no Nordeste, forro e samba significava a mesma coisa: festa. Tocava-se do baião ao chorinho. Latada era a extensão da casa, coberta de folha de flandres, onde se realizava a festa, a dança. Descendente direto do samba passou a designar um gênero musical quando a ele foi incorporado à sanfona, o triangulo, a zabumba, mais violões, banjo e, eventualmente, instrumentos de sopro. É também conhecido com o samba matuto.

Xaxado - dança popular do sertão, cujo nome foi dado devido ao som do ruído que as sandálias dos cangaceiros faziam ao arrastarem sobre o solo durante as comemorações celebradas pelo grupo de Lampião. Originalmente, era dançada somente por homens, razão pela qual teve dificuldades em se firmar como dança de salão. Quando de sua origem, a melodia era apenas cantada e o tempo forte marcado pela batida de um rifle no chão.

Xote - acredita-se que tenha se originado a partir de uma dança típica da Escócia do século XIX, trazida aos pais pelos colonizadores europeus e, a partir dai, caído no gosto dos escravos brasileiros. O xote dançado devagar: é encostar a cabeça no ombro do parceiro, fechar os olhos, e. dois pra la, dois pra ca. O ritmo é um pouco mais cadenciado que o Baião, e sua temática poética, na maioria das vezes, são bastante românticos.

LUIZ DO EXU, LUIZ DO BAIÃO

Num distante 14 Dezembro – foi em 1912 – nascia um caboclinho a quem deram o nome de Luiz, num lugarejo ao sul de Pernambuco, fronteira com o Ceará, chamado Exu, no pé da será do Araripe. Ali, onde o vento costuma juntar o cisco da poeira e fazer a curva, surgia aquele que viria ser o maior cantador e tocador de todo o Nordeste: LUIZ GONZAGA.

Cedo teve de partir a procura de melhores dias, de um futuro que “tivesse futuro”. E assim foi Brasil afora, em busca do seu destino, até abraçar-se, definitivamente, com uma sanfona e sair por ai cantando e tocando. O reconhecimento aprochegou-se rapidamente em função do talento de que sua voz e se deu instrumento emanava.

E não parou de fazer sucesso. E não tardou o reconhecimento publico. Virou mania nacional. Foi um divisor de águas popular brasileira e seu estilo refletiu-se sobre todos os movimentos musicais contemporâneos, influenciando toda uma geração de compositores e cantores.

LUIZ GONZAGA nos deixou na madrugada de 2 de agosto de 1989 e veio a ser consagrado, em votação popular, como o PERNAMBUCANO DO SECULO: pelo que representa para a nossa cultura regional, fez-se justiça.

About these ads
Categorias: arrasta-pé, baião, canção infantil, cantiga de roda, coco, Luiz Gonzaga, PE, samba, sertão, xaxado, Xico Bezerra, xote | Tags: , , , , , , , , , , , | 3 Comentários

Navegação de Posts

3 comentários sobre “Ser Tão Criança – Cantigas de Roda e do Sertão – Xico Bizerra

  1. Maria Cristina

    Amei este disco maravilhoso. A minha filha de 1ano e 8 meses adora dançá-lo e aprendendo sobre a natureza.
    Um presente lindo para toda criança.

    Parabéns!

    • Caburé

      Ele é ÓTIMO! Um dos melhores cds que ouvi nos últimos tempos. Do arranjo à execução ele é muito bom. E sim, de fato: as crianças se identificam de imediato com suas músicas. Eu mesmo divulgo pra tudo quanto é pai que conheço, pra de cedo a criançada ir conhecendo nossas ‘raízes’.

      Felicidades e obrigado pela visita!

      O autor

  2. kennedy ferreira de lima

    oi sou uns dos cantores do cd sou o kennedy ferreira muito obrigado a todas as pessoas que ouviram o cd até eu mesmo achei o cd lindo obrigado a xico bezerra pela oportunidade que nos deu e agradeço a DEUS.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com. O tema Adventure Journal.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 80 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: