Gustavo Barroso – Terra de Sol


“Quem das brancas praias do Ceará demanda o interior das terras, nota que todo o terreno sobe, muito sensivelmente, da orilha do Atlântico para o sertão. E, quando se avistar uma argila vermelha ao invés da alva areia dos tabuleiros que margeiam a costa e o olhar não mais vir o cajueiro e o cauaçú, nem as crêspas moitas viçosas de murici, guajirú, guabiraba e murta oferecerem seus frutos ao descaso dos transeuntes; quando o páu-branco se esgalhar entre cerrados de rompe-gibão, troncos altos de catandubas elegantes, e ao olhar se estenderem vastas cantingas de juremas raquíticas, ensombrando touceiras de corôa de frade; quando cortarem o terreno largas lages de granito e chistos argilosos, quartzitados, se esbarrondarem nas ribanceiras. por entre lascas de calcáreo endurecido, lenta e silenciosamente se transformando em mármore – aí começa o sertão.”

Gustavo Barroso – Terra de Sol

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s