Poema Encouramento


ENCONTREI este lindo poema no site Tribuna do Norte – VISITEM

Ele se encontra também no livro ‘Timbre‘, do mesmo autor.

Encouramento
Virgilio Maia

Enfeitei meu chapéu com diamantes,
pingos d’água catados na ribeira,
que uma chuva miúda e benfazeja
borrifou no meu chão, por uns instantes.
Figurei-me um herói, desses errantes,
um Quixote de luz, no pensamento:
barbicacho no queixo, barba ao vento,
coração espremido ao guarda-peito
e as fornidas perneiras tinham jeito
das de rija armadura de outros tempos.

As cantigas candentes do passado
declamei da maneira que queria;
rastejei noite e dia sobra a pista
e os nitridos fogosos de um cavalo.
Tudo ali parecia envolto no halo
do indiviso silêncio onde se lia
o romance da lua que subia
sertaneja aclamando minha veste,
cobiçando, tão bela, tão celeste,
meu gibão de beleza e fidalguia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s