O Ponto de Cultura caiçara da Casa Mandicuéra


RETIRADO DO BLOG do sr. Luis Nassif

-x-x-x-x-x-x-x-x-

Autor

Mestre Zeca (viola) e Jairo (adufo)

José Martins Filho, o Mestre Zeca, é um legítimo caiçara. Nasceu na floresta, numa das partes mais preservadas da Mata Atlântica, entre Guaraqueçaba e Paranaguá. Porque seu pai era andarilho, morou em várias comunidades do litoral do Paraná: Rio Verde e Batuva, em Guaraqueçaba, Ariri, no Estado de São Paulo, Cananéia, em algumas ilhas da Baía de Paranaguá e, finalmente, na Ilha do Valadares. Desde, criança, apesar das constantes mudanças, esteve em contato com o Fandango, tocando rabeca de três cordas, viola de 7 cordas e exercitando a segunda voz. Tem um ouvido absoluto. É capaz de afinar vários instrumentos exatamente no mesmo tom seu precisar ouvir nenhum como referência. Afinou uma viola e me deu, enquanto afinava uma rabeca. No final, os dois instrumentos estavam absolutamente iguais.

Mestre Zeca é o professor de Fandango da Casa Mandicuéra, Associação de Cultura Popular  na Ilha do Valadares, em Paranaguá, um ponto de cultura voltado para a arte caiçara.

Recebeu Silzi e eu com uma alegria cordial de quem tem a alma límpida e brilhante como água cristalina refletindo a luz do sol. E enquanto afinava um e outro instrumento foi nos contando sobre a sua vida simples de caiçara. E quando chegou Jairo, outro integrante do Grupo Mandicuéra, nos presenteou com belíssimas canções tradicionais do fandango, que gravamos apenas para registro e documentação.

Conhecer, fotografar, documentar e divulgar a Casa Mandicuéra foi o primeiro passo que Silzi Mossato e eu demos para formatar o Projeto Interfaces, cujo objetivo é documentar e divulgar as manifestações da cultura popular dentro das próprias comunidades em que elas são produzidas (veja fotos e textos de Silzi Mossato aqui).

OS ALUNOS DO MESTRE
Luis Fabiano Corujinha, João Batista de Andrade e Maria Eduarda moram em Morretes.

Casa Mandicuéra
Segundo o site da Associação, Mandicuéra é o sumo extraído da mandioca no processo de produção da farinha. Extrato este que dá nome à união de diferentes grupos que representam a cultura caiçara do Paraná, mais especificamente de Paranaguá. É nesse caldo que vem sendo geridos, desde 2003, projetos e idéias de fomento à produção da cultura popular local e de articulação comunitária.

O início se deu com a criação do Grupo de Cultura Popular Mandicuéra, que realizou o espetáculo Rufo de Adufo em parceria com o SESC em turnê por 15 estados Brasileiros, unindo fandango, boi-de-mamão e romaria do divino. Fazem parte da associação os grupos Pés-de-Ouro, Caiçaras do Paraná, Grêmio São Vicente, Grupo Mandicuéra, Grupo da Romaria do Divino, Boi de Mamão, Equipe Pamoná de ventrecha de Culinária Tipica entre outros.

Projeto InterFace:OSS e Kaaru Araelaboração e execução: Erly Ricci e Silzi Mossato

Anúncios

3 comentários em “O Ponto de Cultura caiçara da Casa Mandicuéra

    1. Sempre a postos para difundir e colaborar para a perpetuação de nossa maior riqueza e seus belos detentores!

      Aquele abraço Romançal! \o/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s