Bordados de João Cândido, recuperados


RETIRADO DO Sítio da EBC

-x-x-x-

São João Del-Rei recupera bordados de João Cândido, líder da Revolta da Chibata

Criado em 23/04/13 16h46 e atualizado em 23/04/13 16h56
Por Léo Rodrigues Fonte:Portal EBC

O marinheiro João Cândido, protagonista de um movimento que amedrontou toda a cidade do Rio de Janeiro em 1910, tinha o hábito de bordar. A evidência concreta está em São João Del-Rei (MG), onde se encontram duas toalhas bordadas pelo líder da Revolta da Chibata. Elas fazem parte do acervo do Museu Tomé Portes Del-Rei, que estava desativado e será reaberto ao público.

LEIA TAMBÉM:
Bordados ajudam a revelar perfil do líder da Revolta da Chibata

Segundo o novo secretário de cultura de São João Del-Rei, Pedro Leão, os bordados se constituem como um documento histórico para compreender o período e enriquecem o patrimônio artístico da cidade. Ele conta que as obras foram encontradas no dia 2 de janeiro. “Elas estavam em uma sala úmida, sem o menor cuidado de preservação, juntamente com outras telas e fotografias. Imediatamente foi feito o translado pra uma sala maior, mais arejada e limpa. Também já contratamos um técnico que será responsável pela higienização e restauração do acervo”, explicou Pedro Leão.

Veja galeria de fotos das obras do acervo:

João Cândido liderou a Revolta da Chibata entre os dias 23 e 26 de novembro de 1910. Indignados contra o uso da chibata e outras práticas humilhantes da Marinha brasileira, os marinheiros assumiram o controle de quatro embarcações. Entre elas, estavam os encouraçados recém-incorporados São Paulo e Minas Gerais, que possuíam 84 canhões e figuravam entre os mais poderosos do mundo, com um poder de fogo que poderia causar sérios estragos na cidade.

O clima tenso que tomou conta do Rio de Janeiro se agravou ainda mais com alguns disparos esparsos, em direção a navios e fortalezas. Apesar do acordo com o governo, que incluía a anistia aos rebelados, os marinheiros permaneceram presos por muito tempo e João Cândido foi expulso da Marinha.

Restauração

A restauração de todo o acervo é parte do projeto inscrito pelo município no PAC das Cidades Históricas, programa governamental coordenado pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). São João Del-Rei apresentou uma demanda de R$19 milhões para a recuperação de todo seu patrimônio histórico e cultural.

OUÇA TAMBÉM:
– Historiador José Murilo de Carvalho analisa bordados de João Cândido

00:00
06:33
Creative Commons – CC BY 3.0

“Uma vez aprovado o projeto, nós acreditamos que o museu será reaberto num prazo de 3 anos. São mais ou menos 800 obras. Talvez o restauro de algumas delas pode demorar mais. É necessário um conhecimento técnico para dar uma estimativa mais exata”, diz Pedro Leão. Ele conta que também está sendo elaborado o Blog do Acervo, que conterá informações históricas da obras.

O secretário ressalta que, embora algumas obras tenham sido perdidas devido à deterioração, os bordados de João Cândido encontram-se em bom estado. “Um deles apresenta uma mancha, talvez proveniente da umidade ao qual eles estavam expostos. Mas acredito que ela será removida”, disse.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s