Jogo, folclore e músicas – cultura!

RETIRADO DO sitio Folha PE

-x-x-x

Jogo usa folclore e músicas para discutir patrimônio histórico

Fases do jogo passam por Nazaré da Mata, Olinda, Fernando de Noronha e pelo Recife

Tue Aug 30 07:31:00 BRT 2016 – Tatiana Notaro, da Folha de Pernambuco
Divulgação
Jogo traz folclore, ritmos locais e referências culinárias

A preservação do patrimônio histórico de Pernambuco ganhou nova ferramenta com o projeto “A saga do caboclo de lança”, um jogo para smartphone e computadores onde o personagem-herói, o caboclo, vai percorrer o Estado para combater os “malassombros”, criaturas que querem roubar o brilho da cultura local. Desenvolvido pela Cabra Quente Filmes e pela empresa de games Perna Cabeluda, o jogo foi aprovado pelo Funcultura e deve ter a primeira fase lançada até o fim do ano, compatível para iOS e Android.

As fases do jogo passam por Nazaré da Mata, Olinda, Fernando de Noronha e pelo Recife. “Há sempre figuras folclóricas, tudo gira em torno de Pernambuco. O ‘malassombro’ da segunda fase é o Homem da Meia-Noite, a ‘força’ do caboclo vem do caju”, comenta Hamilton Costa Filho, da Cabra Quente. Os desenhos são claros quanto ao local de cada fase, há presença dos ritmos locais (maracatu, na primeira fase; frevo, na segunda…) e referência à culinária, com cuscuz, espetinhos, queijo de coalho. Com versões em português, inglês e espanhol, os desenvolvedores planejam uma divulgação mundial. “As pessoas no Japão verão o game e terão curiosidade de conhecer esse lugar, tão interessante e tão cheio de cultura”.

O usuário vai encontrar pelo caminho a Capela de São Francisco Xavier (de Nazaré da Mata), a Igreja da Misericórdia (em Olinda) e todo o acervo arquitetônico e urbanístico da Cidade Alta. No Recife, último estágio do jogo, o usuário irá levar o caboclo de lança pela rua da Aurora, Teatro de Santa Isabel, Prédio do Ginásio Pernambucano e ainda pelo conjunto arquitetônico, urbanístico e paisagístico do Bairro do Recife.

Desenvolvido pelos designers Matheus Calafange e Miguel Diniz, “A saga do caboclo de lança” teve seu protótipo apresentado para a comissão de fiscalização do Funcultura, no início do mês. Apresentará, inclusive, trilha sonora e o sound design totalmente autorais desenvolvidos pelo diretor de som Pedro Diniz e compostas por ritmos e instrumentos regionais, como xaxado, frevo, baião, maracatu, ciranda, coco, música armorial e manguebeat.

Anúncios